Páginas

domingo, junho 09, 2013

Momento Consumidor

Tudo na vida tem um começo, uma história ou um momento de partida. Minha vida de consumidora consciente está atrelada ao meu (enorme) sentimento de justiça. Acredito que a justiça é parceira indispensável à ética, à moralidade e à vergonha na cara. Mas, o assunto (deste post) está mais atrelado à saúde.

No ano passado, com o sofrimento pré retirada da vesícula, modifiquei vários hábitos alimentares e aprendi a observar os rótulos com indicadores de quantidade de gordura, além da famosa gordura trans. Depois da retirada da vesícula continuei muito cautelosa com tudo porque tive uns dois episódios (infelizes) de má digestão (diarreia, mesmo!) até que a médica disse que eu estava "impressionada" e que a maioria engorda sem a vesícula e outras informações necessárias. Resolvi deixar de ser cautelosa demais e voltei a comer mais algumas gordices (alimentos cheios de gordura e que engordam).

Amo um sanduíche vegetariano - momento propaganda assumido - de uma lanchonete na rua da PUC/SP! Amo demais a batata frita deles com parmesão ralado! Sou fã da lanchonete porque, além das gostosuras servidas lá e dos ótimos momentos do período da pós, são muito educados e o estacionamento está incluso. Não é perto de casa, mas é o lugar preferido pela família para incluir a sobremesa (banana split para os dois e petit gateau só meu e com muita farofa doce). Completo a lista de elogios: após a retirada da vesícula fui lá e comi a batata frita; depois fui para incluir o sanduíche; depois acrescentei a sobremesa. Pura felicidade gastronômica e sobrevivência sem vesícula!

Há algumas opções de sanduíches vegetarianos, mas as pessoas devem pensar que comida vegetariana tem que ser sem graça, amarga ou mal feita. A realidade é que precisamos ter boas comidas e não gosto de comer carne animal (isso faz tempo). Poucas lanchonetes famosas disponibilizam de inteligência para compreender um pedido "sem a carne". Isso é tão caótico que desisti de comer sanduíches em praças de alimentação porque preciso explicar muitas vezes que "fica tudo menos a carne" e o preço não corresponde ao desgaste. Mas, em algumas praças de alimentação há uma rede de lanchonetes (brasileira) que tem a opção vegetariano no cardápio. Não é a melhor opção da praça, mas lembrei dela numa hora de muita fome.

Deveria ter esquecido que poucos lugares sabem atender ao paladar e à necessidade de quem não quer (ou não pode) comer carne animal. Pedi o sanduíche e comi, mas estou suportando as consequências desagradáveis de dor de barriga (com diarreia) e a confirmação que o preparo do sanduíche deve ser um desrespeito à saúde pública: puro óleo! Com certeza, não sabem que gordura é veneno (minhas fezes estão líquidas e oleosas como aquela coisa de tentar misturar água e óleo) e isso é um desrespeito a todos os humanos! Não estou querendo falar o nome da rede (péssima), mas fica fácil saber pela descrição.

Vou concluir com bons pensamentos e com a imagem de onde serve melhor vegetariano de SP (além da batata maravilhosa, saladas deliciosas e o petit gateau mais mais):






sábado, junho 08, 2013

Internet invade

A vida continua
Apesar do sumiço do blog
(tempo, tempo, tempo)
Consequência da vida de estudante mais acelerada
que todas as outras vidas de sempre.

Acreditamos que estamos invadindo o mundo 
através da internet...
Mas, é a danada que invade a nossa vida sem o menor pudor.


Na minha página do FB (irritante) aparecem propagandas 
de interesses pessoais
(bolsas, sapatos, vestidos...)
e resolvi ver uma propaganda...
Não deveria!
A propaganda está em tudo e em todas as páginas do computador!


Agora, parece que virou desejo
e ainda nem tive tempo de pensar.
Com certeza, a internet não sabe
que sou controlada e que
um desejo não é uma necessidade!


LinkWithin

Related Posts with Thumbnails