Páginas

terça-feira, julho 31, 2012

Meninos, meninos e meninos

Quando nasci já tinha dois irmãos
meninos!
Quando fiz 8 anos ganhei mais dois irmãos
meninos!
Quando comecei a namorar ganhei dos sobrinhos
meninos!
Meses antes do casamento ganhei mais um sobrinho
menino!
Sonhei e realizei ter um filho
menino!

Caixinhas pensando neste mundo de meninos!





Vieram mais sobrinhos meninos
(de sangue e de coração).

Mas, segue o próximo post...



segunda-feira, julho 30, 2012

Um velho e um novo

Parece título de fábula
Mas, nada disso.
São dois cadernos (fichários)
de dois tempos diferentes.

O velho:


Fiz para usar no final do Curso de Psicologia
e continuo usando.


O novo:


Fiz pensando numa pessoa que foi para o outro lado do planeta
para viver uma nova vida 
e precisa de um "diário".




Ambos com o amor do momento:
corujas,
corujinhas
corujonas!


sábado, julho 21, 2012

Quintana disse...

Todos estes que aí estão

Atravancando o meu caminho,

Eles passarão.

Eu passarinho!

(Mario Quintana)


Sabiá vizinho de minha janela
(moro, sim, em SP!)


terça-feira, julho 17, 2012

Tulipas de Tecido

De tempos em tempos
As manias mudam
Ou novas manias nascem para outras realizações
Todas as postagens são de realizações
(explicando realizações: 
desejar, pesquisar, planejar, 
executar, registrar, 
sentir uma grande alegria pela obra pronta!)

Antes de fazer o enfeite de maternidade
Já estava perdidamente apaixonada
Pelas tulipas de tecidos!
Aquela coisa de “quero e quero muito!”


 Que fotos mal feitas!

Duas coleções pensando em pessoas diferentes
Para serem presenteadas.


segunda-feira, julho 16, 2012

Projeto Coruja II

Juntas
Mathilda e Maria Bonita


Lindas!
Amando!

domingo, julho 15, 2012

Maria Bonita

Pura escolha!
Quando olhei pronta pensei:
Maria Bonita!



Nada de pensar na companheira de Lampião.
Mas, depois do nome escolhido resolvi ler sobre
A primeira mulher a participar de um grupo de cangaceiros.
Impressionante!

sábado, julho 14, 2012

Dorothea ou Mathilda

Diva, Divina, 
Romão, Virgulino
Antes de nascer 
há sempre uma lista enorme (de opções) de nomes,
Mas quando nasce 
é que temos a certeza 
de qual é o melhor nome
Aquele que não estava na lista!



Dorothea seria o nome final...
Mas, olhando bem e
pensando melhor:
Mathilda!
A primeira coruja!

sexta-feira, julho 13, 2012

Projeto Coruja

As “zoiudas” continuam esbanjando charme.
Cada vez que vejo 
uma decoração composta de corujas 
fico mais apaixonada e pensando: 
Quero uma minha 
e feita por mim.



Inspiração
Riscos
Projetando

quinta-feira, julho 12, 2012

Reformas

Na mesma inspiração do forro da cama 
resolvi reformar um edredom de solteiro 
(muito antigo).
Foi simples: 
queria duas cores diferentes 
em tecidos 100% algodão...


Que ótimo! 
Fica disponível para assistir TV 
com um chá quente e
com as pernas bem quentinhas!


quarta-feira, julho 11, 2012

Edredom

Capa de edredom
Imaginava que isso não existia. 
Um forro de cama 
(na lista de enxoval se chamava cobre leito) 
estava ficando desgastado, desbotado e desmanchando.
Decidi que não queria comprar outro, 
mas que poderia restaurar o atual. 


 Linhas, tecidos, agulhas, 
máquina de costura, 
fita métrica e 
muitos cálculos para não perder tecido.


As cores foram escolhidas pensando
na praticidade de uma família
(nós três e o peludo)
que vive rolando, comemorando, dando risadas e
trocando abraços 
depois que a cama está muito bem forrada!

terça-feira, julho 10, 2012

Amiga de longa data

Acredito (mesmo!) que a maternidade
transforma o cérebro feminino.
Sou um exemplo vivo disso.
Minha mãe insistiu muito e por muito tempo
que eu aprendesse a costurar...
Fugia daquelas aulas de corte e costura.
Quando o filho nasceu
aprendi a fazer ponto cruz 
(amo!) .
Quando ele ainda era bebê ganhei uma máquina de costura!
Queria preparar um edredom 
na transição do berço para a cama.
Eis aí a amiga de longa data:


A máquina de costura!

Ainda tenho o manual e guardo na caixa original.
Isso significa que não sou tão habilidosa,
mas é uma terapia maravilhosa!


segunda-feira, julho 09, 2012

Amigas

Algumas amigas inseparáveis
para qualquer saída básica
ou para emergências em casa:


Amo fotos!

Sabendo disso o Filho da Sogra obteve a maior aí.
A média já temos há bastante tempo 
e o filho usa para as filmagens dos trabalhos de escola.
A menorzinha vai dentro de qualquer bolsa
e dá conta do recado.
Mas, está com um pequeno problema:
provoca estragos no cartão
(ninguém merece).

domingo, julho 08, 2012

Vesícula (ainda tenho)

Fomos criados sabiamente pelo Pai do Céu. Acredito nisso (fé) e sei que meu corpo é um presente que precisa ser cuidado/preservado e coisas deste tipo. Neste sentido, sou cuidadosa com os alimentos diários; bebo muita água (muita!) e sempre que posso faço umas pequenas caminhadas.

Sobre os alimentos: herdei alguma sensibilidade à alimentos gordurosos. Tenho lembranças de meu pai sendo muito cuidadoso com tudo o que poderia ou não comer. Salgadinhos de saquinho? Gostava de fandangos, mas logo perdeu a graça e ruffles (a batata da onda) em ocasiões raras. Os demais são insuportáveis ao meu paladar restrito. 

Sobremesas: nada de doces feitos com frutas. Prefiro a fruta in natura! Outros doces que misturam açúcar e leite causam estragos enormes na minha digestão, pois a enxaqueca pode atacar. Sorvete? Pra quê? Este é um negócio muito sem graça. Mas, gosto de pensar no petit gateau de um lugar específico (Família Burger) e onde tem o único sanduíche que consigo comer - feito de grão de bico.

Restrito também é o gosto por outros alimentos gordurosos. Batata frita: serve apenas a dos Arcos Dourados e, como um pacotinho custa mais caro que 1 quilo de batatas, deixo para lá e como purê em casa. Chocolate: já falei deste em outras postagens. Não vivo sem e, atualmente, como apenas Ferrero Rocher (caro demais para ter em casa) e bolacha recheada Nescau (não serve outra). Amo bolo de chocolate! Mas, amo o que eu faço com Nescau em pó e cobertura feita com uma barra de chocolate meio amargo Hershey, se esta estiver em falta serve apenas a da Lacta.

O detalhe não está na marca de cada produto, não. O detalhe está no meu paladar e na digestão. Não gosto de pensar que algo com um pouco mais de gordura poderá render uma enxaqueca que vai me derrubar. Impossível desconsiderar que meu corpo merece o melhor.

Com toda esta restrição às gulodices meu colesterol é alterado (para pior) e constatei neste semestre que está tudo pior. Umas dores terríveis começaram a perseguir meu abdômen (mais precisamente próximo ao estômago) e reflete nas minhas costas. Consigo lembrar da primeira crise numa noite de 2ª feira em março... Dor demais; vômito; quase desmaio. Inacreditável. Depois desta tive mais duas ou três e tenho certeza que na noite de 2 de junho tive outra crise. Foi terrível porque o Filho da Sogra estava de plantão e o desespero foi enorme. No dia seguinte precisei acompanhar duas turmas da Pedagogia ao Catavento Cultural e ao Mercado Municipal. Nunca mais vou comer pastel na minha vida. 

Hoje é o 8º dia do mês e já tive 4 crises terríveis e um dia de terrível indisposição provocada por dores nas costas. Minha vida física está complementando os problemas emocionais (provocados pela pressão inútil e desrespeitosa da instituição que trabalho). Estou com o diagnóstico (mais que confirmado) de colecistite e com o prognóstico de intervenção cirúrgica para este mês.

Neste tempo (durante o semestre) fiz um tratamento alternativo e parece que estava dando resultado, pois limpei o rim direito - tinha uns cálculos lá - mesmo que o objetivo era limpar a vesícula. Continuo acreditando que posso continuar cuidando da minha alimentação e da minha saúde mental (para superar estas encrencas resultantes de minhas somatizações). Não tenho dúvidas que o Pai do Céu está dirigindo minha vida e cuidando de minha saúde, mas não gostaria de ir para o hospital com dor e menos ainda para uma intervenção...

Momento fé!



Este "feijãozinho" verde é o responsável por tanta dor (?). Quase inacreditável!


LinkWithin

Related Posts with Thumbnails