Páginas

quinta-feira, dezembro 23, 2010

"É dando que se recebe"

A sobrinha amada pediu uma caixa rosa...
Tia é para isso!
(para todas as outras coisas...)


Foi dentro da sacola:


Levei, também, um quebra cabeça das Princesas
e uma Barbie médica.



Para a mamãe dela e para a vovó
foram uma caixinhas
com biscoitinhos...




Voltei carregada:

 O prendedor está lá no blog dela

 A caixinha para inventar mais

 O avental é tudooooooo!!

 Detalhes maravilhosos (chipboard)

 Não sei o nome disso, mas é apaixonante e
posso usar em tudo!!!

Fitinhas adesivas com estampas maravilhosas!!!!!!!!!!!!

Como posso agradecer????


quarta-feira, dezembro 22, 2010

Presente de Natal antecipado

O presente de Natal já chegou!

Explicando:
Outro dia o Filho da Sogra foi assaltado e, claro,
ficamos muito contrariados, mas
agradecidos por não ter sido pior.

Os meliantes levaram relógio, celular,
dinheiro e a aliança (buááá).

Para não ficarmos com alianças diferentes...
Estamos de alianças novas e
comemoraremos
17 anos de casados
na próxima semana!

sexta-feira, dezembro 17, 2010

Caixinhas e chaveiros

Houve outra postagem
Aqui tem mais 
(1ª coleção)
continuando o post anterior









Aceitei uma encomenda com 
12 destas - com chaveiro 
e mais outras 8 
(sem chaveiros para homens).

Consegui fotografar apenas duas:



Cinco dias para fazer ter paciência
para 'carregar' as fotos.
Ufa!

terça-feira, dezembro 14, 2010

Chutando o balde


Emoções... Quase impossível externar a verdade de um sentimento ou de uma emoção. As palavras não são suficientes (dizem isso em todas as formaturas). Sentimentos e sua dimensão não são passíveis de qualquer tipo de medida. É individual. O outro pode até sentir, mas não é possível sentir como outra pessoa.

Que frustração (para não acrescentar um enorme palavrão) quando dizem que fico estressada por qualquer coisa. Para quem diz pode até ser pouca, qualquer ou nenhuma razão, mas se estou sentido... Apenas eu tenho condições de dizer se causa ou não qualquer emoção, perturbação ou estresse.

Ou, quem sou eu para dizer que isso ou aquilo é muito pouco para cansar alguém? Não tenho uma régua, balança ou qualquer outro instrumento de medida capaz de dar exatidão ao que pode ou não limitar outros... Tão pouco tenho a função de juíza da vida alheia.

Quem sabe o quanto cansei de ser certinha ou quanto já fiquei aborrecida com exigências além de minhas capacidades (e ainda correspondi às tais exigências)? Quem estava sentindo humilhações ou sendo massacrada por muito tempo?  Mais? Para quê? Com toda certeza, sou responsável pelo resultado final de tudo isso! Mas, não estou jogando para outros estas responsabilidades – cansei! Tenho este direito e outros mais!

Quando vou melhorar? Ainda não sei!

Ainda sofro as conseqüências da patologia instalada aqui (síndrome de Burnout), mas não preciso sofrer mais com as pressões externas. Preciso aprender a identificar o que me causa incomodo e externar (...).



"Na maioria das vezes, o portador de Burnout tem três caminhos a seguir: ou desiste do emprego e muda de profissão; ou não supera o problema e cai doente; ou, finalmente, enfrenta a situação de forma realista e ressurge das cinzas. Muitos têm dificuldade em delegar funções e acumulam tarefas que fatalmente deixarão de cumprir. É preciso que essas pessoas saibam que o cemitério está cheio de profissionais insubstituíveis".

segunda-feira, dezembro 06, 2010

Momentos









Há períodos de grande produção (de arte) e outros períodos em que não rende nada. Fico lá sentada e o resultado é demorado... Assim, está sendo com uma nova criação (que não é tão nova, pois o material está comprado há um mês). Comecei ontem à noite... e nem o primeiro ficou pronto. Emperrei numa dúvida de montagem e isso começou a complicar meus pensamentos.

Meus pensamentos... Se preciso de concentração maior para a solução de algo... empacam! Quando isso acontece vem junto a sensação de que estou diante de uma prova de cálculos (meu ponto fraco no ensino fundamental), mas junto com o espírito de persistência (totalmente dispensável nesta situação) fico tentando... Até chegar a exaustão e o sentimento de fracasso que pode resultar em lágrimas.

Continuo afastada do 'trampo' até janeiro, mas ainda continuo tendo 'mil e um' casinhos via email... resultando na mesma situação: tento resolver até que 'os pensamentos empacam' (dá a sensação de que virá uma forte dor de cabeça). Isso me atormenta. Havia ficado aliviada na semana passada quando encaminhei à minha Coordenadora um email destes e obtive apoio (com uma leve bronca) para sossegar e desfrutar do afastamento, pois este é o objetivo! Mas, o hábito é maior (que hábito? o de sofrer?) e os pensamentos insistem nisso também.

Estou esperando impacientemente ficar boa logo ou pelo menos voltar a ficar calma diante daquelas mil encrencas que sempre resolvi no trabalho (quando será?). Sinto algumas melhoras muito pequenas em questões da vida pessoal que estavam sendo afetadas, também, e nem havia percebido (como todo o resto da situação até chegar ao estresse atual). 

Enquanto isso... pausa... voltar a pintar caixinhas e deixar os projetos novos (desafiantes) e os pensamentos com o trabalho para mais tarde e mais para frente

segunda-feira, novembro 29, 2010

Então é natal (?)

Natal...

Lembro daquela versão da música:
"Então é natal, e o que você fez?"
...

Depois de alguns anos
fugindo do Natal:



As duas primeiras (parecidas, né?)
serão presenteadas.



Na porta de casa:

Como é bom ter pessoas queridas que
e partilham alegrias
e realizações!



Presentes que não apareceram antes

Um mês após...
Agora é que estou colocando uns mimos
de meu aniversário...


Os alunos queridos enviaram:

As amigas queridas trouxeram pessoalmente:
Confeccionaram tudo
(menos as chipas que devorei 
e o cone que estava dentro da caixinha).

Amei tudo!


quinta-feira, novembro 25, 2010

Umas artes

Que orgulho!







A maioria já foi presenteada...




A vida, a saúde e o trabalho


Como vai?

Todos já sabem que é terrível perguntar isso e obter resposta. As pessoas perguntam apenas por educação e as outras querem responder. Querem dizer tudo!

Eu não quero dizer nada! Por conta disso é que escrevo, assim não preciso explicar um "monte" de vezes.

Pós cirurgia do útero o material foi enviado para análise - nem pensei em resultado ruim, sou "Polly" demais para isso - e a volta ao médico comprovou que não há malignidade por aqui (ufa!). Tudo deve voltar a funcionar normalmente (e sei que está voltando, pois já tive minhas enxaquecas pré menstruais).

Estou afastada do trabalho, não por causa disso, porque fiquei cansada. Pode? Não! Demorei muito para perceber que estava esticando demais o meu elástico (da paciência, do tempo, dos limites físicos, mentais e emocionais) resultando naqueles sintomas confusos que não encaixam em depressão.

Encaminhada ao médico tenho o diagnóstico de uma doença que ainda não está no CID - Síndrome de Burnout - mas, que está confirmada pela perícia do INSS. 

Dadas as explicações... Avante!



domingo, novembro 21, 2010

Criatividade...

Encontrar um significado para
criatividade?

Usando-a!








Caixinhas que já foram presenteadas 
no Dia dos Professores 
e para o sobrinho músico (futuro engenheiro).



sábado, novembro 20, 2010

Um pouco de arte

Estou viva, sim!
E estou cheia de criatividade (ainda)!




Caixa usando a cartonagem
(que sempre prometo não usar porque dá trabalho)
Porta CD que será presente de Natal 
para o amigo do Filho da Sogra


Que charme estes aí:



Está muito complicado colocar as fotos...
Demorando demais e
faltando paciência!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails