Páginas

sexta-feira, agosto 28, 2009

...E nem é dia das mães

Coração de mãe

Já sei que todo mundo escreve coisas de mãe ou sai pelo mundo a fora compartilhando as mesmas idéias sempre: mãe é mãe; mãe suporta tudo pelos filhos; ser mãe é padecer no paraíso... E mais um monte de outras falas prontas. Não discordo de nenhuma destas crenças! Mas, acrescento a elas algumas outras, não tão aceitáveis.

Não aceitável: Mãe que tem vários filhos ama todos igualmente! Não! Isso é impossível aos humanos e mais impossível ainda para a mãe admitir. Mas, se cada criatura é única e dona de suas peculiaridades, então, a mãe nãos os ama da mesma forma. Ama cada um como cada um (e todo mundo entende, sim, esta parte! Mesmo que continue preferindo falar que ama igual). Ah! E essa parte não é porque me sinto mais amada ou menos, pois só tenho irmãos – quatro! – e os vejo “recebendo” o amor de mamãe que, com certeza, me ama diferente, pois ela nem tem outra filha para amar como me ama. E até os gêmeos são amados de forma diferente e entendem este amor, cada um, de maneira individual.

Outra não tão aceitável: Mãe que tem um filho só precisa ter outro para dividir suas angustias maternas, tipo preocupar menos com este rebento! Credo! Outra vez impossível concordar, mesmo sendo mãe de filho único. Nunca consegui ver minha mãe se preocupando menos por ter cinco filhos ( e olha que ela nunca foi mãe melosa ou extremada; sempre foi do tipo “se vira que é a vida”). Aí tive que contemplar a vida ao lado e constatar que minhas amigas, com características muito diferentes das minhas, com mais filhos ficavam mais “acabadas” em menos tempo. Pudera um “monte” de filhos para dar preocupação! Mais filhos? Mais preocupações; mais cabelos brancos; mais noites acordada; mais rugas; menos tempo diante do espelho...

Mais não aceitável: “Toda mãe tem instinto materno”. Em que lugar do mundo todas as mães nasceram para ser mãe? Ou em que lugar todas as mulheres amam ser mãe e “curtem” tudo o que ser mãe exige? Sem essa! Tem um monte de mãe por aí e por aqui, também, que não tem tempo nem para olhar o berço e ver que a criança não cabe mais nele, muito menos se pode dizer que “sente e pressente” o que o filho precisa. Até porque a onipresença e onipotência são exclusivas do Todo Poderoso. Mas, tudo bem, que algumas mães conseguem pensar no filho no exato momento em que este (danado!) precisa dela. Mas, muita gente tem esta “sensação” por um amigo ou por outro querido, mesmo sem os danados “dons sobrenaturais”. Então, por que é que todas as mães têm que saber de tudo?

Mais inaceitáveis: A mãe sempre sabe o que é melhor para os filhos. Esta é até irônica, pois todas as mulheres (e os homens também) conseguem viver o que é melhor para suas próprias necessidades. Coisas do tipo: quantas mães já não erraram ao dizer que determinada moça não serviria ao seu amado e maravilhoso filho? No final, a moça que o filho escolhe para não desagradar tanto à mãe, também não o faz feliz (e nenhuma outra vai fazer, pois como é que uma mulher no mundo vai conseguir ser melhor do que a mãe? Se ela já é mãe vai ser pior ainda...).

Estas “não aceitáveis” teorias são suficientes para provocar um pouco algumas mães que ficam irritadas quando são tiradas de seu trono de rainha... (e quem garante que a mãe é a rainha do lar?).

Ironias à parte! Penso mesmo nestas coisas, mas sei que ser mãe é a tarefa mais nobre que há no mundo e que os anjos, se pudessem, desempenhariam este trabalho. imagens da internet

domingo, agosto 23, 2009

Cartas a uma amiga - Carta I

Amiga,

Nem sei por onde começar. Na verdade, não estou no começo, pois estamos no meio da vida. E é assim mesmo, todos estamos no meio da vida.

Lembro bem quando nos conhecemos e em pouco tempo, pouco mesmo, parecia que nossa amizade era uma amizade da vida toda. Logo no primeiro semestre, lembro que você perguntou aflita o que seria quando o curso acabasse e eu respondi que ainda estávamos no começo. Mais para frente e em outras situações você tornou a perguntar e eu preferia responder, e acreditar, que tudo se resolveria.

Acabou o curso!

Todas as suas preocupações se concretizaram. Vemo-nos cada vez menos, afinal são 39 a 42 quilômetros de distância, e não em linha reta, e sem contar os muitos congestionamentos que encaramos para atravessar a cidade, não qualquer cidade, mas a quinta mais populosa do mundo. Uau! Há um mundo de gente entre a Zona Sul, mais precisamente Sudoeste quase saindo para o Paraná, e a Zona Leste! Muita gente e muitos carros tumultuando as ruas.

Saindo do aspecto geográfico, pois não pode ser justificativa para os amigos, vamos especificar a concretização de suas preocupações: a amiga desligada das ligações sociais e dos relacionamentos.

Amiga, obrigada por tudo! Obrigada por pedir ao meu filho que a chame de tia, pois a desnaturada de plantão aqui não ensinou a chamar os amigos de tios; mas, como ensinar quando a mãe não mantém tantos vínculos e os poucos que mantém é como ela? Acima de tudo, obrigada por me ensinar a precisar de amigos. Hoje, não vivo mais sem amigos e isso graças a você e sua perseverança em mandar mensagens ótimas pelo celular querendo saber como é que estou; como está a família e como os dias estão passando.

O tempo passou e eu é que estou preocupada com os amigos que tenho ou que deixei de ter. Fiquei muito incomodada com algumas coisinhas no período de férias. Tão preocupada que transformei em discurso de inicio de aulas. Sabe aquelas aberturas de aulas com um pouco de palavras bonitas? Nada de discurso de auto ajuda, pois você bem sabe que não sou chegada a isso e nem aquelas palavras melosas. Mas, falei sobre um tema específico: todas as pessoas nascem e envelhecem de maneira igual, pois todas dependem de outra para ajudá-las. Pensei em seu bebê e em meu sogro; cada vez que o tempo vai passando, seu bebê vai se desenvolvendo mais e meu sogro vai invertendo a situação, pois fica mais dependente de outros. Você viu o filme “O curioso caso de Benjamin Button”? Mencionei o filme às turmas.

Você pode pensar agora: e o que é que tem isso conosco? Tem muito. Pois, foi o que disse aos alunos. Ninguém escolhe o inicio de sua própria vida e não tem como escolher o final da mesma, mas todos podem escolher como viver. É este o teor de todos os meus pensamentos: só podemos escolher o meio, a vida, a história de cada dia. O final pode ser um pouquinho diferente se escolhemos bem este meio. Perguntei quantos, nestes 45 dias de férias, tiveram contato com outro ou outros do Curso; lembrei que seria preocupante se não tivessem ninguém da turma de aulas para ligar, pois passar juntos mais de quatro horas por dia, ou melhor, noite, dá para ser ou ter amigos de verdade.

Onde me inspirei para tudo isso? Na minha própria vida, é claro. Preciso modificar o meio de minha história de vida. Foi meio doloroso constatar que os amigos de trabalho não são amigos, pois só me ligam no período de trabalho e para falar de trabalho. Então, não são meus amigos. Até posso tentar modificar isso, pois liguei para os mais chegados de trabalho... Decepção.

Amiga, obrigada por todos os recados e mensagens de celular.

Na verdade, resolvi que preciso mudar este meio do caminho. Não sei bem como começar e você vai dizer que não mudei nada, pois estou aqui longe até não poder mais e você sentindo a distância. Mas, decidi que vou mudar este meio da história. Até comecei a mudar algumas coisinhas. Acredita em mim.

Já fiz a matricula na academia. Tudo bem que esta semana passou e não consegui ir lá fazer uma ginástica básica, mas o primeiro passo já foi dado: estou matriculada e antes do recesso obrigatório consegui caminhar na esteira, andar naquela bicicleta que não sai do lugar e ainda consegui conhecer uns três ou quatro aparelhos de musculação. Não levo jeito para a coisa, pois a vida toda em São Paulo é de sedentarismo. Muito trabalho com a mente e nada com o corpo.

Há outras pequenas mudanças para a semana: ver filmes; usar o telefone para falar com as pessoas amigas e não só para trabalhar; pintar caixinhas; fazer comida e comer em casa; sair bem arrumada com lápis, sombra e delineador, além da máscara de cílios, tudo como você dizia que deveria fazer; retribuir gestos de amizade e cultivar os poucos amigos que tenho.

beijos

quinta-feira, agosto 20, 2009

Olhai os Lírios do Campo

Por isso vos digo:

Não andeis cuidadosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer ou pelo que haveis de beber; nem quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir.

Não é a vida mais do que o mantimento, e o corpo mais do que o vestuário?

Olhai para as aves do céu, que nem semeiam, nem segam, nem ajuntam em celeiros; e vosso Pai celestial as alimenta.

Não tendes vós muito mais valor do que elas?

E qual de vós poderá, com todos os seus cuidados, acrescentar um côvado à sua estatura?

E, quanto ao vestuário, por que andais solícitos?

Olhai para os lírios do campo, como eles crescem; não trabalham nem fiam;

E eu vos digo que nem mesmo Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles.

Pois, se Deus assim veste a erva do campo, que hoje existe, e amanhã é lançada no forno, não vos vestirá muito mais a vós, homens de pouca fé?

Não andeis, pois, inquietos, dizendo: Que comeremos ou que beberemos, ou com que nos vestiremos?

Mateus 6:25 a 31 – Disponível em: http://www.bibliaonline.com.br/acf/mt/6

Lia este texto na Bíblia; ouvia na igreja, mas só fez sentido quando encontrei no meu livro de Língua Portuguesa de 6ª ou 8ª série e depois li o livro “Olhai os Lírios do Campo” – Érico Veríssimo – e quando cheguei a SP pela primeira vez... Fiquei sentada numa praça onde colocava meus pensamentos em ordem ou apenas observava a vida...

Hoje esta leitura trouxe paz!

domingo, agosto 16, 2009

...E todo fim tem seu começo

O título é para ser otimista!
Mas, pensei mesmo foi em outro ditado... "tudo o que é bom dura pouco" (mesmo que desta vez teve mais tempo)... E pensando que "tudo que vai volta"... As férias voltarão depois (ainda bem!), mesmo sabendo que "todo começo tem seu fim".

quinta-feira, agosto 13, 2009

Obras de Arte - mais umas

... E o sonho com as habilidades manuais continua:
Esta caixa foi um pedido do Filho da Sogra
O aniversário desta princesa já passou e ainda não consegui levar o presente:
Diário. As princesas crescem...
Tem mais algumas que amei fazer e ver o resultado. Mas, as imagens demoram para "carregar".

Inevitável

Na próxima semana, inevitavelmente, a rotina deve ser retomada... Aquela história de acordar cedo e dormir tarde por obrigação e não por prazer; correria para cumprir todos os horários, relatórios, aulas, trabalhos e entregas; falta de tempo para almoçar comidinha de verdade; final do tempo de “brincar de casinha”...

Quando minha rotina é retomada a coisa fica complicada! Uma das preocupações é manter o mínimo da ordem nesta casa – pequena, mas complicada de manter arrumada. Tenho uma secretaria que passa aqui uma vez por semana. Já chegamos ao ponto de não nos encontrarmos por semanas a fio. Ela chega cedo, mas eu saio de casa sempre muito mais cedo, pois o filho precisa entrar na escola na hora certa. Às vezes, consigo deixar alguns recadinhos colados na geladeira e fica possível fazer algumas recomendações, mas, em geral, nada!

Pensando e organizando a vida consegui fazer uma rotina de limpeza, que penso, vai facilitar muito as necessidades desta “enorme” casa de uma “enorme” família de três pessoas e um cachorrinho peludo.

Claro que estou orgulhosa da tabela que elaborei. Não da distribuição das atividades, mas do uso da máquina.

quarta-feira, agosto 12, 2009

História e Aventuras

Nada contra aqueles que vivem “no futuro” ou que preferem o mundo atual, mas valorizo muito o passado próximo e o passado bem distante. Por diversas razões sou fã das Aventuras no Passado.

Já pensei várias vezes naquelas máquinas do tempo de velhos filmes... Eita! Nada de trazer algo do passado para o presente ou de querer vasculhar o futuro. Ficava pensando é na possibilidade de ver como era “de verdade” as coisas no passado...

Viajava na imaginação daquela produção “A Muralha”... Como é que os camaradas conseguiam viajar do litoral até Piratininga? E aquelas donas? Coitadas! Com aqueles vestidos enormes e cheios de pano... E ainda os inúmeros baús cheios com mais vestidos... Não assisti tudo, mas vi o suficiente para não tirar da cabeça Cananéia – para quem não lembra, havia referência ao local – lá no sul de SP.

Estou realizada! Fui até lá...

O Mar Pequeno
Eis uma viela...
Aqui é uma Viela em Iguape.

Já conhecia Iguape, mas precisava ir um pouco mais distante... Na verdade, é bem mais distante e valeu!

História é uma viagem! Uma aventura!

sábado, agosto 08, 2009

Dia dos Pais por Eduardo Suplicy

Nada com nada! Sem chances de pensar na relação entre os três do título. No máximo é possível relacionar o Suplicy ao Senado. Claro! Ele é senador! Possível, também, relacionar o senador ao Dia dos Pais. Afinal, ele é pai! Mas, a melhor relação foi feita por ele mesmo!

Podem criticar o quanto desejarem; não sou petista e de nenhum outro partido... Mas, reconheço que há poucas figuras no cenário político nacional que não viram a casaca. Desde o final de minha infância quando comecei a ter consciência de partidos políticos... e o tal partido ainda não era reconhecido, o atual senador já tinha a mesma postura de ontem.

Autenticidade!

Já não tenho mais o meu pai, mas valeu a pausa na palhaçada que estava acontecendo e lembrar que domingo é dia dos pais.

quinta-feira, agosto 06, 2009

"Recordar é viver"

Este título é de algum programa de rádio do passado... E do tempo que passou, encontrei estas lembranças:
Sandália Melissa de tirinhas...
Sandália Melissa Furadinha (a minha era azul claro ou cinza)
Perdi todo o objetivo do trabalho... Continuei lembrando das sandálias... Fiquei procurando mais "qualquer coisa" (sandálias, brinquedos...) pela internet e descobri este endereço: http://www.voceselembra.com/
Lembranças são lembranças! É bom ter lembrança, pois confirma o momento em que vivemos.

terça-feira, agosto 04, 2009

Para virar a página

Exaltar-te-ei, ó Senhor, porque tu me levantaste, e não permitiste que meus inimigos se alegrassem sobre mim.
Salmos 30:1

"Quem comete uma injustiça é sempre mais infeliz que o injustiçado."
-Platão-

São imagens da internet...

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails